quinta-feira, 20 de agosto de 2020

EM PLENA PANDEMIA SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPALIZADOS DO SUS DE JUIZ DE FORA CONTINUAM SENDO PREJUDICADOS PELA PREFEITURA

Fax Sindical

Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora 

20 de agosto de 2020

___________________


EM PLENA PANDEMIA SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPALIZADOS DO SUS DE JUIZ DE FORA CONTINUAM SENDO PREJUDICADOS PELA PREFEITURA

___________________


Secretaria de Administração e Recursos Humanos da Prefeitura de Juiz de Fora contribui para aumentar o estresse que servidores municipalizados que já sofrem com as consequências da pandemia 


*Hoje, dia 20, a complementação ainda não foi paga


—————————————


Vivemos uma pandemia e, a maioria sabe, os servidores públicos que atuam no SUS são os principais responsáveis pela linha de frente, já que quatro entre cinco brasileiros são assistidos exclusivamente pelo SUS. 

Em várias ocasiões os profissionais da saúde foram aplaudidos e receberam manifestações de agradecimento. E essa gratidão é merecida e reconhecida. 

Mas nem tudo são flores e a solidariedade com os trabalhadores do serviço público de saúde é necessária. 

Em Juiz de Fora, uma parte importante dos servidores públicos do SUS é composta de servidores ditos municipalizados. São servidores públicos estaduais e federais cedidos à Prefeitura. 

Para quem não sabe, ou não se lembra, esses servidores foram incorporados ao SUS local na fase de sua implantação, já que a prefeitura, na ocasião, não tinha recursos humanos em quantidade e com formação necessárias à implantação do novo sistema público de saúde.

A complementação salarial veio da diferença entre os salários da prefeitura e do estado. Os salários dos servidores públicos da saúde do Estado de Minas Gerais são, historicamente achatados e desfasados, bem inferiores aos da prefeitura para o exercício da mesma função. Em razão disso, na inexistência de qualquer providência que fizesse valer o princípio da isonomia, foi criada essa complementação. 

Agora a prefeitura, na atual gestão, cisma em impor dificuldades. Ora paga, ora não paga. Ora diminui o valor. A situação evoluiu para o insustentável. Parece que exploram, lamentavelmente, a dificuldade que haveria do trabalhador parar em plena pandemia. 

O assunto foi levado à Câmara por iniciativa de uma comissão de servidores municipalizados com apoio do vereador Castelar. E há negociações entre a SARH e os servidores. Mas o dano moral do estresse que a prefeitura causou nos servidores da saúde é agravado pela pandemia, que, a cada dia de trabalho, é vivenciada como uma ameaça constante à integridade física dos servidores. 

Pedimos a todos, em especial quem conhece o Prefeito, que envie mensagens pedindo que ele tenha empatia e solidariedade e intervenha, como deve, para solucionar essas dificuldades dos servidores públicos municipalizados do SUS de Juiz de Fora, que estão sendo impostas pela SARH.  


Publicado em:


https://faxsindical.wordpress.com/2020/08/20/em-plena-pandemia-servidores-publicos-municipalizados-do-sus-de-juiz-de-fora-continuam-sendo-prejudicados-pela-prefeitura/

sexta-feira, 14 de agosto de 2020

Sindicatos reivindicam que Prefeitura de Juiz de Fora emita CAT para servidores da saúde contaminados com COVID e realize protocolo de testagem

Sindicatos lutam pelo direito à CAT no caso de contaminação pelo COVID e pela testagem dos funcionários sujeitos à contaminação.

Profissionais de saúde que atuam no SUS de Juiz de Fora solicitaram à Prefeitura de Juiz de Fora que garanta:

1- testagem periódica de COVID para todos os profissionais. Todos sabem que é muito elevado o risco de contaminação em unidades de saúde. Um profissional de saúde contaminado pode transmitir a doença a pacientes, familiares e outros trabalhadores da saúde. Além disso os profissionais vivem sob risco de contágio e isso causa apreensão.

2- o reconhecimento da COVID como acidente de trabalho. Essa matéria já foi pacificada por decisão do STF (confiram em http://www.mundosindical.com.br/Noticias/47274,Decisao-do-STF-reconhece-o…

https://faxsindical.wordpress.com/2020/08/14/sindicatos-reivindicam-cat-para-trabalhadores-da-saude-contaminados-por-covid-e-acesso-a-testes-periodicos/





sábado, 13 de junho de 2020

Profissionais de saúde devem ser testados periodicamente contra COVID

Sentença judicial obriga governo federal e serviços privados a oferecerem testes para COVID a profissionais de saúde. 
COFEN consegue, na Justiça, testagem periódica para profissionais de saúde em todo território nacional. O silêncio das principais entidades  médicas da PANDEMIA chega a incomodar. Nessa "pátria amada Brasil" continuam "dormindo em berço esplêndido".
https://tribunademinas.com.br/noticias/cidade/13-06-2020/profissionais-de-enfermagem-questionam-politica-de-testagem-a-servidores-da-saude.html

quinta-feira, 21 de maio de 2020

ASSOCIAÇÕES MÉDICAS IRÃO RECORRER À JUSTIÇA CONTRA DECISÃO DO GOVERNO SOBRE USO DE CLOROQUINA



A Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade usou a própria nota técnica do Ministério da Saúde para questionar a orientação sobre o uso da CLOROQUINA. 
"Em sua primeira nota técnica, o documento afirma que "ainda não há meta-análises de ensaios clínicos multicêntricos, controlados, cegos e randomizados que comprovem o beneficio inequívoco dessas medicações para o tratamento da Covid-19”.
A Associação de Medicina Intensiva também questiona a decisão do Ministério da Saúde.
“Há evidências suficientes para a não utilização da cloroquina e das demais medidas recomendas pelo ministério em pacientes infectados pela Covid-19”, afirma Suzana Margareth Lobo, presidente da Amib.
A Sociedade Brasileira de Infectologia também emitiu nota afirmando que vários estudos mostraram o "potencial malefício” dessas drogas. A entidade recomenda que o uso de cloroquina ou hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19 seja feito "prioritariamente em pesquisa clínica".
A matéria está em:
https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2020/05/entidades-medicas-vao-a-justica-contra-o-uso-da-cloroquina-para-tratar-covid-19.shtml

A droga tem efeitos colaterais muito graves. 

O Ministério da Saúde simplesmente justificou a adoção da droga como um "clamor da sociedade", que pode ser entendido como campanhas disparadas em aplicativos de celular e redes sociais por governistas que não respresentam o povo, mas apenas grupos bem delimitados que apoiam incondicionalmente o governo. O governo federal não tem adotado, nem incentivado, medidas de isolamento e contenção da PANDEMIA, que continua se espalhando pelo Brasil com números assustadores. 

https://g1.globo.com/bemestar/coronavirus/noticia/2020/05/20/secretaria-cita-clamor-da-populacao-e-necessidade-de-resposta-para-justificar-liberacao-da-cloroquina-em-casos-leves.ghtml

quarta-feira, 13 de maio de 2020

Em Juiz de Fora, vereador atrapalha serviço de postos de saúde em plena pandemia

FAX SINDICAL
Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora e da Zona da Mata de Minas Gerais
13 de maio de 2020

VEREADOR ATRAPALHA FUNCIONAMENTO DE POSTOS DE SAÚDE EM PLENA PANDEMIA

*Médicos e profissionais de saúde de várias unidades básicas queixaram-se junto ao Sindicato dos Médicos sobre o comportamento do vereador sargento PM Mello Casal, que, de forma agressiva, dirigiu-se aos profissionais procurando informações epidemiológicas sobre COVID19. 
*Deveria saber o nobre vereador que (1) a responsabilidade dessas informações é, no plano municipal, da Secretaria de Saúde da Prefeitura, no estadual, da Superintendência Regional de Saúde e, no federal, do Ministério da Saúde. Não é responsabilidade dos profissionais de UBS e que, (2) a maioria dos casos notificados provém de UPAs e de hospitais públicos e particulares. 
*Em vídeo publicado em redes sociais o citado vereador havia mostrado sua irritação quanto à divulgação de uma planilha, feita pela Prefeitura, onde se registrava um número considerável de casos na região onde ele concentra maior número de eleitores. 
*O vereador tem competência para fiscalizar e deve fazê-lo. Mas o faça junto aos órgãos competentes. Isso não o dá direito de agir de forma agressiva e nem de praticar assédio moral contra profissionais estressados e expostos a essa pandemia que se espalha pelo Brasil. 
O Sindicato dos Médicos fez saber dessa ocorrência ao Conselho Municipal de Saúde, por meio de seu secretário-executivo, senhor Jorge Ramos e à Ouvidoria Municipal de Saúde.
Vereador, pare de assediar profissionais de saúde que estão numa verdadeira guerra contra um inimigo invisível e traiçoeiro, que está causando baixas também entre os profissionais de saúde da nossa cidade.
*É importante saber que o isolamento social é a principal arma contra o COVID19, o COVID não tem cura e está matando muita gente. Hoje o Brasil se tornou o sexto país do mundo com maior número de infectados.
*Cumpre destacar que por falta de testes Minas é um estado onde há grave subnotificação dos casos de COVID. 
Publicado em https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=164981894995978&id=110962397064595 e em 
https://faxsindical.wordpress.com/2020/05/13/vereador-prejudica-trabalho-em-postos-de-saude-de-juiz-de-fora-durante-pandemia/
Contato - para sugestões, denúncias, reclamações ou cancelamentos - sindicatoexpresso@sindmedicos.org.br
Veja também em http://sindicatoexpresso.blogspot.com 

Prejudicados pela prefeitura, servidores da saúde são a linha de frente contra a pandemia

FAX Sindical
Data: 13 de abril de 2020
Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora e da Zona da Mata de Minas Gerais

APESAR DA FALTA DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO E DAS CONDIÇÕES PRECÁRIAS DE TRABALHO, SERVIDORES DO SUS ESTÃO NA LINHA DE FRENTE DO COMBATE À PANDEMIA DO CORONAVÍRUS

Os servidores públicos do SUS estão na linha de frente do combate à pandemia, já que têm o compromisso de atenderem mais de três quartos da população brasileira. Os servidores públicos do SUS estão enfrentando situações de grande estresse, por causa dos riscos da exposição, da falta de equipamentos de proteção individual e da precariedade das condições de trabalho. Os servidores do SUS estão firmes, esperando os dias piores da pandemia, que ainda estão por vir. 
Os sindicatos que representam os trabalhadores do SUS estão acumulando reclamações sobre as deficiências e percebem a falta de diálogo e de negociações para a busca de soluções. Apesar das carências e das chefias, os servidores públicos do SUS continuam e continuarão em ação durante a pandemia, na medida do que for possível, enquanto estiverem vivos e saudáveis. 
É importante que toda a opinião pública e autoridades tomem conhecimento de todo um histórico de conflitos que existiu entre a administração pública e os servidores de saúde nos meses que antecederam a pandemia. Os servidores públicos estaduais foram penalizados pela prefeitura, entre outras medidas, pelo corte de suas complementações salariais. É uma triste coincidência que esse gesto de injustiça e ingratidão tenha precedido ao impacto de uma pandemia sobre o nosso sistema público de saúde. Os fariseus hipócritas que manobraram contra os trabalhadores do sistema público de saúde deveriam, se pudessem ou conseguissem, colocar a mão na consciência e sentir o peso do arrependimento.
É importante destacar que todos os esforços no atendimento à população serão empregados pelos servidores públicos do SUS no atendimento à população, apesar das chefias, apesar das condições precárias de trabalho, apesar da falta de insumos e de testes para COVID-19. 
A população pode contar conosco. Quanto aos governantes, que aguardem o momento da cobrança. 


https://faxsindical.wordpress.com/2020/04/12/prejudicados-pela-prefeitura-servidores-da-saude-sao-a-linha-de-frente-contra-a-pandemia/

Arquivo do blog

Sindicato Expresso

SINDMED-JF

SINDMED-JF
A luta sindical na Internet.

PARA INDICAR O SINDICATO EXPRESSO, CLIQUE NO LINK ABAIXO.

Indique este Site!

ASSINE O SINDICATO EXPRESSO - GRÁTIS E RECEBA EM PRIMEIRA MÃO.

Receba Sindicato Expresso por e-mail

Grupos do Google
Participe do grupo Sindicato Expresso
E-mail:
Visitar este grupo