sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Crise no HPS de Juiz de Fora - Faltam plantonistas para o HPS e prefeitura sai da linha

Fax Sindical – 13 de novembro de 2015.
Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora e da Zona da Mata de Minas Gerais
-------------------------------------------------------
CRISE NOS PLANTÕES DO HPS DE JUIZ DE FORA LEVANTA INDIGNAÇÃO E SUSPEITAS.
Plantonistas contratados via Hospital e Maternidade Terezinha de Jesus, seriam remunerados por RPA, recibo de pagamento a autônomo que é próprio de profissionais autônomos para fazer plantões no HPS de Juiz de Fora. Desconhecemos se existe contrato, convênio ou algum instrumento jurídico que defina essa prática, nem como recursos públicos são usados para pagar RPA.

A classe médica de Juiz de Fora e o Sindicato que a representa foram surpreendidos com a informação de que, sorrateiramente, plantonistas contratados pela instituição Hospital e Maternidade Terezinha de Jesus passaram a atuar no HPS, sendo remunerados por RPA.

Não são conhecidos os termos do acordo, contrato ou convênio entre as parte e nem os procedimentos usados na contabilidade pública para pagar esse tipo de despesas, dentro do princípio da moralidade administrativa, que exclui, obviamente, a improbidade administrativa.

O fato é que o hospital público, no qual o corpo clínico deveria ser constituído mediante certamente público, além de conviver com contratos temporários, vê agora profissionais pagos contra RPA (recibo de pagamento a autÔnomo), próprios para profissionais liberais. O Ministério Público Estadual, tão zeloso com as folhas de ponto do HPS, a ponto de escandalizar os médicos e a cidade com o confisco desses documentos e a abertura de inquéritos policiais, não se manifestou até o momento, em relação a esse fato, que pode ser algum tipo de distorção ou, até mesmo, esconder improbidade administrativa.

O Sindicato dos Médicos nunca vai deixar de relembrar a todos o que sempre repete: o serviço público de saúde tem, cada vez menos, se revelado inapto para atrair e fixar profissionais da Medicina e todas as soluções que fogem de concurso público, plano de carreira e salário decente têm se revelado ineficazes até o presente. As consequências disso não são boas para o SUS.

A Prefeitura de Juiz de Fora, como outros órgãos públicos, finge ignorar essa realidade. Eles sempre têm à disposição o argumento de que tem que tomar algum tipo de medida para que o "coitadinho" não fique sem assistência, esquecendo-se de que a falta de uma política de recursos humanos consistente e eficiente para os médicos do serviço público está abrindo as portas para a desassistência.

Temos um círculo vicioso. Sendo o serviço público incapaz para atrair e fixar médicos, aparecem sempre situações extremas, de desassistência, e sempre os gestores públicos de saúde recorrem a sugestões mirabolantes ou a improvisações grosseiras. Essas soluções violam leis, contratos trabalhistas e, não raro, suspeitas de outras naturezas. Sabemos que existe corrupção no SUS, tanto quanto em empresas estatais ou outros órgãos públicos, tendo alguns casos gerado escândalos noticiados em horário nobre para todos os brasileiros.

Diante desse evidente desrespeito aos médicos do serviço público, representado pela contratação de profissionais sem qualquer vínculo empregatício com o serviço público por meio de pagamento avulso, o Sindicato que os representa abriu consulta ao seu serviço jurídico e outras gestões no sentido de tomar todas as medidas legais e administrativas contra esse tipo de situação.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Planos de saúde privados perdem 164 mil clientes só em setembro

Diante da crise econômica que corrói o poder de compra dos salários e causa desemprego, pessoas abrem mão do conforto de uma plano de saúde. O impacto disso será aumento na demanda do SUS e piora na qualidade dos serviços de saúde aos quais os brasileiros têm acesso. 

O mercado de planos de saúde médico-hospitalares registrou, só em setembro, a perda de 164.400 clientes. Fechou o mês com 50,260 milhões de beneficiários - queda de 0,3% em relação ao mesmo período do ano passado.
Os dados são do boletim Saúde Suplementar em Números, produzido pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (Iess) e que será divulgado na próxima semana. No terceiro trimestre de 2015, em relação ao trimestre anterior, a queda foi de 0,5% - o que representou a saída de 236.210 beneficiários.
"Avaliamos que, na comparação anual, que não sofre influência de efeitos sazonais como na análise trimestral, a queda de 0,3% representa uma quase estabilidade, o que demonstra a resiliência desse setor em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) e até ao nível de emprego", analisa Luiz Augusto Carneiro, superintendente executivo do Iess.
Já no trimestre, observa Carneiro, a queda foi mais acentuada e confirma o que já ocorria na soma dos três meses anteriores. Entretanto, segundo ele, não é possível afirmar que essa seja uma tendência, porque não se espera que a atividade econômica mantenha a intensidade de queda registrada nos últimos 12 meses
Matéria completa em Planos de saúde privados perdem 164 mil clientes só em setembro - NE10

#CRISEnoSUS - Gestores e terceirizadores indicados pelo agenciamento e contratação de falsos médicos

A terceirização do SUS, mesmo ocorrendo sem qualquer cuidado por parte do Ministério da Saúde e com apoio de gestores estaduais e municipais, demonstra, em acontecimentos que se repetem, o descaso com a saúde. 

O número de pessoas indiciadas no caso dos falsos médicos que atuavam na Região Metropolitana de Sorocaba (SP) subiu para 13. Nesta terça-feira (27), a polícia informou que o diretor financeiro e o gerente médico do Instituto Ciências da Vida (ICV), que fazia as contratações, vão responder na justiça pelas irregularidades. As informações são da delegada Fernanda Ueda, que coordena as investigações.
Na semana passada, a polícia já tinha informado que outras cinco pessoas também seriam indiciadas: dois interventores da Santa Casa de São Roque (SP), os donos e o diretor financeiro da Innova.
A polícia afirma que todos sabiam que estavam contratando profissionais que não tinham formação médica. Os inquéritos devem ser encaminhados para a Justiça até o fim desta semana.
Matéria completa em G1 - Sobe número de indiciados pela contratação de falsos médicos - notícias em Sorocaba e Jundiaí

terça-feira, 27 de outubro de 2015

#CRISEnoSUS Pacientes sofrem com falta de remédios e demora para cirurgias no SUS

Pacientes sofrem com falta de remédios e demora para cirurgias no SUS (Sistema Único de Saúde). A cabeleireira Deise Augusto de Oliveira, de 54 anos, precisa se submeter a um procedimento cirúrgico emergencial para não perder completamente a visão, mas teve seu nome retirado do cadastro da fila de espera. A cobradora de ônibus Celeste da Silva Gomes precisa tomar remédios que compõem o tratamento contra o câncer de mama. Segundo ela, o remédio custa R$ 584 nas farmácias.
Confira a matéria completa (entrevistas em vídeo) clicando na página Pacientes sofrem com falta de remédios e demora para cirurgias no SUS - Vídeos - R7
Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS Pacientes sofrem com falta de remédios e demora para cirurgias no SUS

#CRISEnoSUS - A dor de quem precisa e a incompetência de quem comanda.

Ineficiência na gestão do SUS. Qual o percentual de incompetência e de corrupção nesses resultados?



O atendimento à saúde é uma equação que não fecha. Nos governos Lula e Dilma a tabela do SUS foi reajustada abaixo da inflação. Há ainda de se levar em conta as fraudes e a corrupção, além da falta de gestão competente, denunciadas pelo do Conselho Federal de Medicina.
No curto prazo não há remédio que cure o desgoverno nessa área. O descaso com a saúde dos brasileiros é vergonhoso, apesar dos discursos de palanque sobre a assistência aos pobres. Enquanto isso, as filas só aumentam. E a população continua pagamento a conta para não ter atendimento de qualidade. 
Matéria completa em  O Repórter | Opinião | SUS, a dor que não passa

Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS - A dor de quem precisa e a incompetência de quem comanda.

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Cidade aprova precarização do trabalho no SUS diante de tumulto na Câmara.

Precarização do SUS - Câmara Municipal aprova terceirização de UPA e polícia prende presidente do SindMed MT

Continuam gestores e autoridades a apostar, por suas leis, sentenças e ações, na ideia de que o SUS funcionará de qualquer maneira, mediante precarização das relações de trabalho. Essa situação se repete em todo o Brasil. A terceirização é do agrado de políticos mal intencionados porque abre as portas da corrupção, dando-lhes o condão de contratar, por meio de intermediação, sem concurso público e comprar sem licitação. Até que haja uma revisão dessa mentalidade que imagina um SUS construído sobre o trabalho precário, teremos um sério entrave ao aperfeiçoamento e ao progresso do sistema. 
Os vereadores de Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, aprovaram uma lei que autoriza a prefeitura a contratar uma Organização Social para gerir uma Unidade de Pronto Atendimento na cidade que ainda não tem data para ser inaugurada. A votação ocorreu sob protesto de um grupo de manifestantes que quebrou uma das portas de vidro do prédio da Câmara Municipal e agrediu jornalistas que faziam a cobertura da sessão. O projeto de autoria do Poder Executivo recebeu 14 votos favoráveis e cinco contrários, e segue agora para sanção da prefeita Lucimar Campos (DEM).
A notícia foi publicada no site G1 e a matéria completa pode ser lida clicando-se no link -> http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2015/10/manifestantes-depredam-camara-em-mt-apos-aprovacao-de-projeto-de-lei.html 

O negócio dos falsos médicos está proliferando no Brasil

Mais médicos? Pessoas que se passam por médicos roubam usuários do SUS

Aumentam os problemas envolvendo o trabalho médico em serviços públicos de saúde. Desta vez a questão a atuação de falsos médicos em hospital universitário do Rio Grande do Sul. 
 A polícia investiga um golpe no qual bandidos se passam por médicos dentro do Hospital Universitário de Santa Maria, na Região Central do Rio Grande do Sul, para cobrar por exames e cirurgias que não serão realizadas. Em um dos casos, o grupo chegou a pedir resgate de R$ 70 mil, mas a criança tinha morrido há um ano (assista ao vídeo acima a reportagem do Jornal do Almoço).
A babá Priscila Dias recebeu um telefone no domingo no qual um homem dizia ser do Hospital  Universitário de Santa Maria (HUSM). Ele afirmou que o filho do casal precisava de uma transfusão de sangue urgente. No entanto, a criança tinha morrido no ano passado.
A matéria completa pode ser lida clicando no link http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2015/10/policia-investiga-golpe-de-bandidos-que-se-passam-por-medicos-no-rs.html 

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

O INSS foi sucateado pelo governo

INSS está sucateado

Matéria divulgada pelo programa de TV Bom Dia Brasil mostra as precárias condições de funcionamento das agências do INSS. A matéria está acompanha de vídeo, que permite conferir o estado de abandono ao qual foi relegado o principal órgão previdenciário do governo federal. 
O assunto é a falta de estrutura nos postos do INSS pelo Brasil. Os peritos estão em greve. E uma fiscalização apontou que faltam equipamentos e tem agência caindo aos pedaços.
O resultado disso é um serviço sem nenhuma eficiência. O resultado é assustador. A controladoria concluiu que em mais da metade dos atendimentos, os laudos da perícia não são capazes de atestar se a pessoa está incapacitada ou não para o trabalho.
Fotos mostram o descalabro dentro das agências do INSS Brasil afora. Móveis e prédios em péssimo estado de conservação. Em um, a fiação está exposta.
A matéria e o vídeo podem ser vistos clicando no link http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2015/10/faltam-equipamentos-e-estrutura-em-agencias-do-inss-pelo-pais.html 

#CRISEnoSUS - Repasse de verbas da União para estados e estados para municípios falidos é judicializada

O governo federal tem a verba. Estados e municípios enfrentam dificuldades para manter sistema público de saúde.

A polêmica do repasse de verbas para a saúde, que são dinheiro que corre da União para os Estados federados e daí para os municípios, numa relação em que todos os recursos escorrem dos cofres federais, costuma ser judicializada. Aí está um promotor de justiça querendo que o estado do Amapá repasse à prefeitura da capital do estado os recursos que supostamente lhe são devidos e que estariam sendo retidos pelo governo estadual. A briga do roto com o esfarrapado é mais um retrato da interminável crise do SUS.
A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que está investigando a situação e que se pronunciará por meio de nota.
Segundo o promotor de Defesa da Saúde André Araújo, as verbas são referentes à atenção básica, vigilância em saúde e assistência farmacêutica na saúde, e deveriam ter sido repassadas para todos os municípios do Amapá. Somente no ano de 2015, a dívida com os municípios chega a R$ 6,1 milhões, de acordo com Araújo.
Em agosto deste ano, em reunião na Procuradoria-Geral de Justiça, na presença do Procurador-Geral de Justiça e de representantes do município de Macapá, o governo do estado prometeu que os repasses voltariam a ser efetivados a partir de setembro de 2015, o que, segundo o Conselho de Municípios do Amapá, não aconteceu.







Fonte - http://g1.globo.com/ap/amapa/noticia/2015/10/acao-na-justica-quer-obrigar-governo-repassar-verbas-do-sus-cidades.html

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

#CRISEnoSUS Santa Casa de Campos dos Goytacazes suspende atendimento a usuários do SUS

O SUS não pode funcionar na base do calote

A crise no SUS cada vez mais nos fornece retratos que colamos aqui, nesse blog, para que sejam sempre lembrados. A Santa Casa de Campos do Goytacazes, no Norte Fluminense, suspendeu atendimento ao SUS, em razão do SUS não estar repassando recursos devidos aos procedimentos médicos e hospitalares lá realizados. Essas situações se repetem por todo o Brasil. Mais que médicos e hospitais, prejudica o usuário, que fica cada vez mais exposto à falta de leitos, consultas e procedimentos especializados. 
O município de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, notificou nesta segunda-feira (19) a Santa Casa de Misericórdia de Campos para que restabeleça o atendimento à população através do Sistema Único de Saúde (SUS), interrompido desde a última quinta-feira (15). A Junta Interventora do hospital alegou que a unidade está sem receber um repasse de cerca de R$ 7 milhões.
A matéria completa está no site G1 e pode ser consultada em http://g1.globo.com/rj/norte-fluminense/noticia/2015/10/hospital-de-campos-rj-e-notificado-restabelecer-internacoes-pelo-sus.html 

Justiça decide que empresa não pode recusar ou discriminar atestado emitido por médico de sindicato

Empresa não pode discriminar médico que emite atestado.

O site Âmbito Jurídico informa que empresas não podem discriminar atestados médicos, restringindo ou determinando limites aos que são emitidos pelos médicos dos sindicatos. 
É decisão judicial. 
A Seção Especializada em Dissídios Coletivos (SDC) do Tribunal Superior do Trabalho declarou nula norma coletiva que considera válido atestado médico ou odontológico emitido por profissional de sindicato somente se o afastamento do trabalhador não ultrapassar três dias. Segundo os ministros, inexiste dispositivo de lei ou jurisprudência para autorizar essa restrição.  
A decisão foi favorável ao Ministério Público do Trabalho da 8ª Região (PA/AP) em ação contra o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado do Pará (Sinduscon-PA) e o sindicato de trabalhadores da construção civil do município de Ananindeua, Sinteclam1.
A Procuradoria pediu a anulação do item da convenção coletiva (2013/2014), segundo o qual as empresas representadas aceitariam atestados obtidos por meio dessas entidades sindicais quando o afastamento do empregado, em razão de doença, não superasse três dias. Caso a consulta fosse realizada por profissional da própria empresa ou de clínica conveniada a ela, não haveria limite de dias de repouso para o documento ser válido.   
Conforme o MPT, o instrumento coletivo não pode diferenciar o prazo de duração do atestado médico, a depender de quem o emite, porque a decisão sobre o período adequado da licença compete somente ao profissional de saúde, de acordo com o tempo necessário à recuperação do paciente.

A matéria completa pode ser lida neste link do site Âmbito Jurídico http://www.ambito-juridico.com.br/site/?n_link=visualiza_noticia&id_caderno=20&id_noticia=134931 

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Terceirização de médicos leva prefeitura ao Tribunal de Contas #CRISEnoSUS

Querem construir um sistema público de saúde explorando trabalho precário. Que caridade é essa?

A insistente e persistente precarização do trabalho médico no SUS é um dos aspectos mais negativos do sistema. Além de tornar o SUS inóspito para médicos, incapaz de atrair e fixar profissionais, esconde irregularidades como corrupção e crimes. Recentemente publicamos aqui vários posts sobre o agenciamento e contratação de falsos médicos para atuar no serviço público de saúde, na condição de terceirizados. Aqui mais uma denúncia. Terceirização irregular vai para no TCE. Esse escândalo aconteceu no MT.
O pleno do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso começou a avaliar a denuncia feita pelo Ministério Público contra a prefeitura municipal de Confresa. Na primeira ação o relator acatou parcialmente as alegações do MP e levará o assunto para analise dos colegas de Tribunal.


A denúncia do Ministério Público é que a administração do prefeito Gaspar Lazari (PSD) tem feito, de forma continua, a contratação de médicos usando o modelo de licitação e não por concurso público. Estes fatos poderão ser considerados no momento da apreciação das contas de gestão.

Mesmo assim, o pleno já determinou que o prefeito realize um concurso público para preencher as vagas de médicos existentes no quadro da prefeitura de Confresa.
Matéria completa pode ser lida em http://www.cenariomt.com.br/noticia/479565/mp-denuncia-e-tce-comeca-a-julgar-irregularidades-na-contratacao-de-medicos-em-confresa.html

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

OAB denuncia ao Ministério Público do Trabalho precarização do trabalho de advogados no RJ

OAB denúncia junto ao Ministério Público do Trabalho a precarização do trabalho de advogados. Desejamos melhor sorte aos bacharéis, já que na área médica a precarização das relações trabalhistas tem sido muito mais do que uma excessão.
Diz a matéria:
Pelo menos dez empresas atuam como intermediadoras da mão de obra de advogados, de maneira irregular, no Rio de Janeiro. Foi o que afirmou o corregedor-geral da Ordem dos Advogados do Brasil fluminense, Rui Calandrini, ao participar de uma audiência pública promovida pelo Ministério Público do Trabalho para debater fraudes na contratação dos causídicos, na última quarta-feira (14/10).
O MPT do Rio investiga atualmente 33 escritórios por admitirem advogados como sócios a fim de burlar a legislação trabalhista. Segundo o MPT, os profissionais entram com cotas de 1%, não recebem participação nos lucros e têm a relação caracterizada pela subordinação.
Para ler a matéria completa clique no link http://www.conjur.com.br/2015-out-18/oab-rj-denuncia-empresas-precarizam-mao-obra-advogado

O sistema de saúde da Suécia poderá servir de inspiração à reforma do sistema de saúde do Reino Unido.


Considerada por muitos como um país onde existe um estado avançado de bem estar social, a Suécia não é exatamente o que parece a muitos. O sucesso do país está ligado à capacidade do país de inovar. A gestão da saúde na Suécia é hoje parcialmente privatizada. O melhor e maior hospital do país está, atualmente, sob gestão privada e já existe um sistema de saúde suplementar funcionando no país. 
Apesar de financiada pelo Estado, a saúde e a educação na Suécia têm sido, nas palavras do jornal inglês The Guardian, um laboratório para a implementação do setor privado no país, conhecido pelo sistema de saúde socializado. Governos conservadores e trabalhistas, de direita e esquerda, promoveram durante os últimos 15 anos um prolongado ajuste sobre ambos os setores. Atualmente a Suécia conta com 30% dos atendimentos médicos e 1 em cada 8 escolas sendo geridas pela iniciativa privada.
O debate no país tem se centrado, entretanto, na possibilidade das empresas obterem lucro. Como no Brasil, inúmeros provedores de saúde e educação são entidades sem fins lucrativos, com a diferença de que lá, como no Chile, o governo financia a aquisição de ambos os serviços por meio dos chamados ‘vouchers’, cheques com destinação certa.
A abertura no país tem servido de exemplo, como relatou a The Economist, também britânica, para reformar a saúde inglesa. Como aponta a revista, os suecos tem feito aquilo que Thatcher não conseguiu fazer – reduzir o peso do Estado na gestão de saúde. Além de servir de base para outros países, o modelo permite o surgimento de grandes empresas no setor, como a Capio, que administra um dos maiores hospitais do país e possui 11 mil funcionários.
A matéria completa pode ser conferida clicando no link http://spotniks.com/7-fatos-que-contradizem-tudo-que-voce-acreditava-sobre-a-suecia/

Relações de trabalho precárias desestimulam médicos de atuar no SUS

#CRISEnoSUS - Paralisação de médicos terceirizados em Mato Grosso. Relações trabalhistas precárias prejudicam o SUS e médicos

Médicos terceirizados de hospital público do Mato Grosso fazem greve. Relações trabalhistas são caracterizadas pela precariedade. Há os que pensam que o SUS pode funcionar assim, com uma política de relações trabalhistas centrada em terceirizações, bolsas e contratos provisórios. É assim que querem mais médicos? Nada é feito com a finalidade de atrair e fixar mão de obra de alta qualificação para o SUS. 
A interventora explicou que os médicos não são contratados direto pelo governo do Estado, mas de empresas terceirizadas, que recebem os repasses do governo. O que teria motivado o atraso ainda não foi apontado.
A matéria completa pode ser conferida em http://www.sonoticias.com.br/noticia/saude/sinop-medicos-do-hospital-regional-paralisam-atividades-e-ex-funcionarios-estao-sem-receber

domingo, 18 de outubro de 2015

Judicialização crescente da saúde afeta gestão e financiamento do sistema público de saúde

Judicialização crescente da saúde afeta gestão e financiamento do sistema público de saúde

O serviço público de saúde, SUS, tem seus problemas de gestão e financiamento agravados pela judicialização. É o que podemos constatar, mais uma vez, lendo a matéria Valores pagos pela Saúde para atender decisões da Justiça cresceram 500% entre 2010 e 2014 publicada no site Saúde - Brasileiros.org 

O crescimento das despesas pagas em decorrência de sentenças judiciais cresceu 500% em quatro anos. Nas considerações do TCU, Tribunal de Contas da União, diz a matéria:
Ações judiciais para obter tratamentos não disponíveis no SUS foram debatidas pelo Tribunal de Contas da União. Para o ministro Castro, a Justiça é imediatista e não pensa na saúde pública
As decisões judiciais são baseadas no imediatismo. 
Diante desses pontos levantados no debate,  Castro chegou a dizer que há um “caráter imediatista dessa decisão”, que não leva em conta o “desperdício do dinheiro público”. Ele mencionou ainda que as decisões são sem critério e sem planejamento e que, na maioria das vezes há opção terapêutica no SUS. 
E há uma preocupação que elas continuem crescendo. 
Há atualmente 400 mil ações judiciais tramitando no Brasil para obtenção de medicamentos, equipamentos, insumos e realizações de cirurgias. Desde 2010, houve um aumento de 500% nos gastos do Ministério da Saúde com essas ações. Naquele ano, o valor pago foi de R$ 139,6 milhões. Apenas em 2014, o gasto chegou a R$ 838,4 milhões. Em todo o período, a soma ultrapassa R$ 2,1 bilhões.
A matéria completa pode ser lida clicando no link http://brasileiros.com.br/2015/10/valores-pagos-pela-saude-para-atender-decisoes-da-justica-cresceram-500-entre-2010-e-2014/

sábado, 17 de outubro de 2015

#CRISEnoSUS Sem repasse e sem receber, médicos de hospital em BH fazem paralisação de protesto.

Alarga-se a crise no SUS. Médicos do Hospital da Baleia fazem paralisação por não receberem honorários. Problema vem do fato do gestor não fazer os repasses devidos pela remuneração dos procedimentos realizados no hospital em favor de usuários do SUS.
“O Baleia informa que o valor devido é repassado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), porém tem chegado à instituição defasado em seu montante e com 90 dias de atraso, em média, sendo que o normal são 60. A administração já está, há vários meses, negociando com a SMSA a regularização, mas ainda não houve acerto”, informa a nota divulgada pelo hospital. Ainda de acordo com a instituição, a ausência dos repasses compromete a estabilidade financeira da instituição.

Por meio da assessoria de imprensa, a Secretaria Municipal de Saúde informou que está em dia com as transferências para o Hospital da Baleia e que os valores estão vinculados à transferência e recursos do governo federal e do estado. A pasta também detalhou como está a situação dos repasses
http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2015/10/16/interna_gerais,698497/medicos-do-hospital-da-baleia-fazem-paralisacao.shtml 

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

#CRISEnoSUS - Governo deixa de aplicar R$ 171 bilhões na saúde pública desde 2003

Falta de investimento e crise financeira na saúde explicam-se, em parte, pelo fato do governo (desde 2003 - governos de Lula e Dilma) deixarem de aplicar dinheiro na saúde. Curiosamente deixaram de aplicar 171 milhões. Leia a matéria abaixo. Clique no link ao final para conferir a matéria completa. 
Enquanto Estados e Municípios se esforçam para aplicar o mínimo previsto em lei, União deixa de gastar, por dia, R$ 38 milhões que deveriam ser destinados à saúde pública no Brasil
O Ministério da Saúde deixou de aplicar cerca de R$ 171 bilhões no Sistema Único de Saúde (SUS) desde 2003. O valor é superior ao que Estados e municípios gastam no setor durante um ano – R$ 142 bilhões em 2013, por exemplo. A conclusão é o do Conselho Federal de Medicina (CFM), que, com base em dados do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), revela os resultados da falta de qualidade da gestão financeira em saúde.
As informações veem na esteira da divulgação de pesquisa encomendada pelo CFM ao Instituto Datafolha, e que, dentre outros pontos revelou: para 77% da população brasileira, o dinheiro destinado ao SUS não é bem administrado. Mais da metade dos entrevistados também acreditam o SUS não tem recursos suficientes para atender bem a todo
Fonte: http://jornaldiadia.com.br/governo-deixa-de-aplicar-r-171-bilhoes-na-saude-publica-desde-2003/http://jornaldiadia.com.br/governo-deixa-de-aplicar-r-171-bilhoes-na-saude-publica-desde-2003/ 
http://telegramasindical.blogspot.com.br/2015/10/crisenosus-governo-deixa-de-aplicar-r.html 

#CRISEnoSUS - Santa Casa de São Paulo em crise terá menos médicos, menos consultas especializadas e menos leitos

A crise política e econômica pela qual passa o Brasil, tornou ainda pior a crise do SUS. As Santas Casas e demais hospitais filantrópicos são fortemente prejudicadas pela tabela defasada do SUS e por outros experimentos fracassados de remuneração para os serviços prestados ao sistema público de saúde por profissionais e entidades filantrópicas. 
Com menos médicos o atendimento a usuários do SUS na Santa Casa de São Paulo ficará ainda mais prejudicado.
O presidente do Sindicato dos Médicos de São Paulo, Eder Gatti Fernandes, disse hoje (15) que a demissão de mais de 1,3 mil trabalhadores da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo afetará o atendimento à população. Segundo Eder, em uma das unidades administradas pela Santa Casa, o Hospital São Luiz Gonzaga, localizado no Bairro do Jaçanã, a queda no efetivo de trabalhadores chega a 25%.
“Provavelmente alguns ambulatórios serão prejudicados pela falta de profissionais especializados. Alguns procedimentos cirúrgicos também serão prejudicados. É um nível de especificidade que só tem ali. Temos hospitais, como o São Luiz Gonzaga, que perdeu 25% do seu corpo clínico e que hoje funciona completamente deficitário. Quem vai sentir isso é a população.”
Na terça-feira (13), a Santa Casa iniciou a dispensa de 1.397 funcionários, entre médicos, profissionais de saúde, técnicos de segurança e psicólogos. O corte representa uma redução de 12% no quadro de empregados. Hoje, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) autorizou a demissão de 184 médicos, que estava suspensa por liminar.
Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2015-10/sindicato-diz-que-atendimento-da-santa-casa-de-sp-sera-prejudicado-por 
http://telegramasindical.blogspot.com.br/2015/10/crisenosus-santa-casa-de-sao-paulo-em.html 

Médicos e hospitais denunciam indústria de falsificações de atestados na Baixada Santista

Médicos e hospitais denunciam indústria de falsificações de atestados na Baixada Santista

Médicos e hospitais da região de Santos SP denunciam a existência de uma indústria de falsificação de atestados. Investigações policiais atrapalham os profissionais que, mesmo sendo também vítimas das falsificações, são citados a comparecer em delegacias policiais e perder horas de atividade profissional e de reconhecido valor social com depoimentos e outros procedimentos policiais. Apesar do constrangimento policial contra os médicos a indústria continua a florescer e a causar prejuízos aos setores produtivos e a órgãos públicos. 
Sob anonimato, um médico que atua em um pronto-socorro municipal de Santos afirmou já ter sido chamado a depor seis vezes em delegacias para confirmar a veracidade de atestados. De acordo com ele, pessoas copiam carimbos e furtam essas folhas das unidades para conseguir licença de um ou dois dias do trabalho. “Posso garantir que, na unidade onde trabalho há pelo menos dez médicos que enfrentam esse problema”.
“O problema é que perdemos um grande tempo para ser ouvidos na delegacia e somos obrigados a voltar para fazer o exame grafotécnico, sempre em horário comercial, o que atrapalha muito. Isso sem contar o constrangimento de receber uma intimação da polícia no local de trabalho e na própria residência”, diz ele.
https://www.blogger.com/blogger.g?blogID=6870008967442751399#editor/target=post;postID=2054717562647500452 

Anestesiologistas criam site para informar a usuários do SUS sobre procedimentos anestésicos



Anestesistas de Campo Grande criam site para passar informações aos interessados sobre os procedimentos anestésicos realizados. 
 A ideia de reunir informações sobre anestesia utilizando como ferramenta a internet surgiu a partir da necessidade de difundir informações sobre quem é o médico anestesista e divulgar, de forma rápida, os cuidados antes, durante e após a cirurgia. Dessa forma, o site que será lançado oficialmente no Dia do Anestesiologista, 16 de outubro (amanhã), servirá como um canal de comunicação e esclarecimento para pacientes, familiares, convênios, médicos especialistas e hospitais.
Fonte: http://www.msnoticias.com.br/editorias/geral-ms-noticias/medicos-anestesiologistas-lancam-site-para-informar-pacientes-do-sus/62951/ 
http://telegramasindical.blogspot.com.br/2015/10/anestesiologistas-criam-site-para.html

domingo, 11 de outubro de 2015

Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS - Menos Médicos - Médicos demitidos por crise na Santa Casa rejeitam acordo de parcelamento

#CRISEnoSUS - Menos Médicos - Médicos demitidos por crise na Santa Casa rejeitam acordo de parcelamento

Médicos demitidos pela crise na Santa Casa de São Paulo rejeitam proposta de parcelamento da rescisão trabalhista. A crise, cuja origem está na tabela do SUS, afeta as Santas Casas e todos os hospitais filantrópicos e privados que atendem a usuários do SUS. Em consequência dela o Brasil tem menos médicos e menos leitos hospitalares. 

Em assembleia, os médicos da Santa Casa de São Paulo decidiram não aceitar a proposta da entidade de parcelar em até 23 meses as verbas rescisórias dos 184 profissionais da categoria que serão demitidos na próxima terça-feira (13). O Simesp (Sindicato dos Médicos de São Paulo) disse que pode haver paralisação dos trabalhadores caso a negociação não avance.


Fonte: Médicos da Santa Casa rejeitam acordo de parcelar pagamento de rescisão - Notícias - R7 São Paulo
Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS - Menos Médicos - Médicos demitidos por crise na Santa Casa rejeitam acordo de parcelamento

#CRISEnoSUS Polícia continua investigando caso dos falsos médicos que atendiam usuários do SUS

#CRISEnoSUS Polícia continua investigando caso dos falsos médicos que atendiam usuários do SUS

Investigações apontam ligações entre empresas que serviam para contratar profissionais terceirizados para o SUS, nomeações para cargos no SUS dos municípios e falsários que agenciavam e terceirizavam o trabalho de falsos médicos. Ainda não se tem ideia de quantos usuários do SUS foram ou ainda são atendidos por falsos médicos terceirizados. 



O médico Daniel Gutierrez, dono da empresa Unidade de Serviços Médicos Cambuí, por meio da qual os falsos médicos que atuaram em Franca recebiam seus salários, prestou depoimento à Polícia de Mairinque (SP), que também investiga a ação dos falsários. O depoimento aconteceu no início de setembro. Daniel estava acompanhado de dois advogados, quando disse que dois dos falsos médicos que atuaram em Franca foram indicados por um diretor do ICV (Instituto Ciências da Vida).
À polícia, ele disse que conheceu o ICV, que prestou serviços em Franca de junho de 2014 a 4 de setembro deste ano, através da indicação de um amigo, também médico. Daniel disse que foi apresentado a João Rocha, apontado por ele como dono da empresa, no final de 2013, quando teria sido convidado a ocupar uma vaga de coordenador médico em Vargem Grande do Sul (SP). 
Fonte: Médico diz à polícia que falsários foram indicados por diretor do ICV - Franca - Portal GCN.net.br
Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS Polícia continua investigando caso dos falsos médicos que atendiam usuários do SUS

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Menos médicos - Como resultado da crise do SUS, Santa Casa de São Paulo é obrigada a demitir médicos

#CRISEnoSUS MENOS MÉDICOS Santa Casa de SP demite por causa de crise

Em um país no qual o governo lança um programa chamado "Mais Médicos", um dos principais hospitais que atende pelo SUS demite e vai trabalhar com menos médicos. A matéria é da Exame e está em :

Santa Casa de SP inclui 184 médicos na lista de demissões | EXAME.com

O presidente do Simesp diz que, durante a reunião, foi informado de que a prioridade definida para a demissão foi para profissionais que não têm mais interesse em trabalhar na instituição, funcionários que estão ociosos e servidores com salários incompatíveis com as funções que realizam. Mesmo assim, ele afirma que a entidade pretende acompanhar o processo de demissões para evitar casos de abuso.
Segundo Gatti, a verba deveria ser paga em parcela única e, com o parcelamento, o prazo para o término do pagamento sempre vai depender do valor que o profissional tem para receber de rescisão.
"A instituição está em crise, é importante para a sociedade, mas os médicos e funcionários vão arcar mais uma vez. Já estamos com o salário de novembro do ano passado e o 13º atrasados. Os médicos serão demitidos e terão a rescisão parcelada. É muito desfavorável."

É quase um milagre os idosos e aposentados brasileiros viverem tanto tempo

É quase um milagre idosos e aposentados brasileiros viverem tanto tempo

Ainda de acordo com a senadora, com base em informação repassada por Alexandre Kalache, do Centro Internacional para a Longevidade no Brasil, ligado à Organização Mundial de Saúde, é "quase um milagre" a expectativa de vida no país ter alcançado os índices atuais, por causa do baixo acesso dos brasileiros às condições necessárias para que isso aconteça.
Fonte:Ana Amélia registra Dia Internacional do Idoso e aponta prejuízos de fundos de pensão — Senado Federal - Portal de Notícias

A destituição de Chioro, em rápido telefonema, foi o triste fim de uma gestão ruim

Dilma do PT rápida no gatilho. Destituiu ministro antes que ele se articulasse com a burocracia e a esquerda corporativa

Dilma demitiu Chioro. Em telefonema seco e breve disse que não precisava mais do ministro. A matéria do "Estadão" cita uma entrevista como causa precipitante da desgraça do ministro. Não foi apenas isso. Temia-se que setores da burocracia do ministério, organizações de esquerda e algumas corporações que são bem tratadas pelo Ministério se mobilizassem em defesa do ministro. A gestão dele foi ruim. Mas isso não foi levado em conta na decisão de tirar o ministro. Diz a matéria do Estadão:

A presidente ficou irritada com entrevista dada pelo ministro ao Estado, publicada anteontem, em que ele alertava sobre as dificuldades que sua pasta enfrentaria caso o Orçamento do próximo ano fosse aprovado da forma como foi proposto para o Congresso. Na entrevista, ele afirmou haver grande risco de o sistema entrar em colapso.
Dilma considerou as declarações uma afronta. Para ela, essa não era a atitude esperada de um ministro.

Menos Médicos - #CRISEnoSUS - Falta de médicos ainda é um realidade no sistema público de saúde

#CRISEnoSUS - Falta de médicos e demora para consultas preocupam no interior de SP



As entidades que representam a classe médica sempre têm apontado a incapacidade do serviço público de saúde para atrair e fixar profissionais médicos. Sugeriram ao governo uma carreira de estado para médicos. A presidente Dilma do PT vetou, algumas semanas depois de ter anunciado o "Mais Médicos". 

Retratos do SUS continuam mostrando que o sistema público de saúde ainda carece de uma política de recursos humanos capaz de atrair e fixar médicos. Essa é também a situação em Sorocaba, importante cidade do interior de São Paulo, o principal estado da federação. A matéria completa está no G1 -> G1 - Falta de médicos e demora para consultas preocupam moradores - notícias em Bairro Ideal 2015

A falta de médicos e a demora no agendamento de consultas são as principais preocupações dos moradores do Parque São Bento, na zona norte de Sorocaba (SP), na área da saúde. O bairro possui uma Unidade Básica de Saúde (UBS) que coleciona reclamações. “A gente precisa pelo menos de saúde básica”, diz a doméstica Raquel de Farias Andrade.

terça-feira, 29 de setembro de 2015

#CRISEnoSUS - São José dos Campos perde clínica oftalmológica que atendia SUS

Nível secundário de atenção, onde atuam os médicos especialistas é o mais vulnerável. Serviço público é cada vez mais inapto para atrair e fixar profissionais da Medicina. Usuários sofrem com a deficiência que se expande. Gestores sempre dizem que o problema "não é bem assim", não enxergando o quanto ele piora a cada ano. Aqui, o registro de mais um retrato da crise que se alarga no SUS. Desta vez em São José dos Campos.

Fonte: Próvisão deixa de atender especialidades pelo SUS - Meon - Notícias da Região do Vale do Paraíba e Litoral Norte
Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS - São José dos Campos perde clínica oftalmológica que atendia SUS

Aposentados atentos. A partir de amanhã Congresso debaterá vetos de Dilma contra aposentados.

O veto de Dilma contra a correção das aposentadorias será apreciado no Congresso a partir de amanhã. Toda atenção dos aposentados sobre isso é importante. Serão milhões de olhos e ouvidos acompanhando como votarão os deputados e senadores de seus respectivos estados.


Aposentados - Outro veto de grande repercussão que precisa ser apreciado é o que diz respeito ao reajuste dos benefícios de aposentados e pensionistas do INSS. Ao sancionar a Lei 13.152/2015, que prorroga até 2019 a atual política de valorização do salário mínimo, a presidente Dilma vetou a extensão da sua fórmula de correção às aposentadorias e pensões.
Dessa forma, aposentados e pensionistas que recebem mais de um salário mínimo continuarão contando apenas com a reposição da inflação, sem nenhum ganho real. Na justificativa do veto, a presidente afirma que a vinculação entre o salário mínimo e os benefícios pagos pelo Regime Geral da Previdência Social violariam a Constituição.
Fonte: Congresso retoma votação de vetos na quarta-feira - Bem Paraná

Telegrama Sindical: Aposentados atentos. A partir de amanhã Congresso debaterá vetos de Dilma contra aposentados.

Governo Dilma do PT: Municípios sem recursos estão parando. Crise sem precedentes no serviço público

Governo Dilma do PT: Municípios sem recursos estão parando. Crise sem precedentes no serviço público

Falar em pacto federativo no Brasil é tratar de uma ficção. Municípios menores viraram pedintes, incapazes de gerar receita para sobreviver, vivem de pires na mão, dependentes de repasses. Quando faltam os repasses os municípios sofrem e reduzem ou suspendem as suas atividades. As leis dão aos municípios responsabilidades muito grandes, mas não asseguram recursos para que eles cumpram sua missão. É como dar um jumento a um homem e ordenar que ele chegue à Lua montado nele. Os protestos dos prefeitos se estendem por todo o país. Agora foi a vez do RJ.

No Norte Fluminense, as cidades que pararam foram São João da BarraSão Fidélis,Cardoso Moreira e Conceição de Macabu. Já no Noroeste Fluminense, os serviços foram interrompidos em ItalvaItaperunaBom Jesus do ItabapoanaNatividadePorciúncula,Santo Antônio de PáduaSão José de UbáMiracema e Laje do Muriaé. As atividades serão retomadas nesta terça-feira (29).
Fonte:G1 - Municípios do Norte e Noroeste do Rio aderem à paralisação estadual - notícias em Norte Fluminense
Telegrama Sindical: Governo Dilma do PT: Municípios sem recursos estão parando. Crise sem precedentes no serviço público

#CRISEnoSUS - POA - Sindicato pede na Justiça fechamento de posto de saúde por causa de grande aumento de violência na área.

Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Sul pede na Justiça que seja mantido fechamento de unidade de saúde para que funcionários não corram grande risco de assalto, agressão e morte. Aguarda-se a decisão judicial. Esse é um aspecto que faz parte da crise atual do sistema de saúde: dificuldade de trabalho ocasionado pela incapacidade do estado em garantir a integridade física dos servidores que atuam em unidades de saúde. A notícia sobre os acontecimentos em POA é do site G1. 


O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul ingressou na noite deste domingo (27) na Justiça pedindo que o Pronto Atendimento Cruzeiro do Sul (PACS), na Vila Cruzeiro, Zona Sul de Porto Alegre, permaneça com as portas fechadas. O posto de saúde está sem funcionar deste a noite desta sexta-feira (25), como medida de segurança, após um ônibus ter sido incendiado no mesmo dia em queum tiroteio deixou uma vítima e sete feridos na região.
Em reunião realizada neste domingo (27) ficou decidido que a unidade será reaberta nesta segunda (28) às 7h. No entanto, a entidade entrou com uma ação cautelar com pedido de liminar, na qual, além de tentar impedir o funcionamento do posto, sugere que moradores da região sejam atendidos no Hospital Materno-Infantil Presidente Vargas (HMIPV), na Região Central da cidade. Além da medida, o sindicato recomendou que os profissionais não compareçam ao posto.
Fonte:G1 - Simers vai à Justiça contra reabertura de posto de saúde em Porto Alegre - notícias em Rio Grande do Sul
Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS - POA - Sindicato pede na Justiça fechamento de posto de saúde por causa de grande aumento de violência na área.

Arquivo do blog

Sindicato Expresso

SINDMED-JF

SINDMED-JF
A luta sindical na Internet.

PARA INDICAR O SINDICATO EXPRESSO, CLIQUE NO LINK ABAIXO.

Indique este Site!

ASSINE O SINDICATO EXPRESSO - GRÁTIS E RECEBA EM PRIMEIRA MÃO.

Receba Sindicato Expresso por e-mail

Grupos do Google
Participe do grupo Sindicato Expresso
E-mail:
Visitar este grupo