domingo, 21 de abril de 2013

Araraquara - Médicos Municipais enfrentaram prefeitura e fizeram paralisação

Médicos da rede pública de saúde de Araraquara (SP) que atendem em serviços básicos decidiram paralisar o atendimento durante esta quarta-feira (17). Segundo a assessoria de imprensa do Sindicato dos Servidores Públicos de Araraquara e Região (Sismar), os profissionais reivindicam melhores condições de trabalho e reajuste salarial. A Secretaria de Saúde informou que serviços essenciais de atendimento deverão ser mantidos e o sindicato diz que somente serão atendidas as urgências e emergências.
Segundo o Sismar, os médicos das Unidades Básicas de Saúde (UBS), do Núcleo de Gestão Assistencial (NGA 3) e do Centro de Diagnósticos (UMED) vão aderir à paralisação que deve ter adesão de até 80%. A informação, entretanto, não foi confirmada pela Prefeitura.
Inicialmente, o movimento de paralisação deve durar um dia e uma assembleia deverá ser feita nesta noite para analisar a situação. "A previsão é de um dia, mas à noite faremos nova assembleia para decidir se tomamos outras medidas", explicou o presidente do Sismar, Valdir Teodoro Filho.
saiba mais

Os profissionais reclamam das condições de trabalho na rede pública. "Com as atuais condições de trabalho e salário, não é possível oferecer aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) uma medicina de qualidade", ressaltou nota enviada pelo Sismar.
No Jornal Regional do dia 22 de março, o clínico-geral Jorge Udari Neto, que há 26 anos atende em postos, denunciou a falta de profissionais, medicamentos e até de material de limpeza nas unidades de saúde. Na ocasião, o Secretario de Saúde, Delorges Mano, disse que desconhecia o problemas de estrutura, negou a falta de medicamentos e admitiu que há dificuldades para contratar profissionais especialistas
Ponto eletrônico
Para a Prefeitura, o movimento teve início devido à insatisfação de alguns médicos com a instalação de relógios de ponto nas unidades de saúde e chegou a oferecer uma revisão salarial para os médicos, incorporando gratificações aos salários. A proposta foi rejeitada pelos profissionais e a Prefeitura decidiu encerrar as negociações, afirmando que só retomaria o assunto após a votação do dissídio, em maio.
A justificativa da Prefeitura sobre os relógios de ponto é rebatida pelo sindicato. "O argumento é espúrio, simplório e falso", considerou o sindicato em nota. "O problema não é esse e para nós isso já foi superado, por isso queremos chamar a atenção da população para as condições das unidades de saúde", afirmou Teodoro Filho. Demora para realização de exames, prédios inadequados, falta de medicamentos, além da falta de médicos e demais profissionais são os problemas relatados pelo sindicato.
Atendimento
Segundo a Secretaria de Saúde, o atendimento durante a paralisação deverá ser mantido. "Por se tratar de serviço essencial, a lei prevê que 30% dos médicos continuem atendendo", afirmou nota enviada pela assessoria de imprensa da Prefeitura.
Além de garantir o atendimento, a Secretaria solicitou que os usuários relatem dificuldades. "Caso algum usuário vá até a unidade e o médico se recuse a atender, a Prefeitura pede que a Secretaria da Saúde seja imediatamente comunicada para que sejam tomadas as medidas jurídicas cabíveis".
A Prefeitura informou também que poderá entrar na Justiça contra a paralisação. "O poder público acionará a Justiça pedindo a suspensão imediata da greve, pois não existe amparo legal para qualquer paralisação. A Secretaria de Saúde destaca que se o médico que estiver na unidade se recusar a prestar atendimento sofrerá as punições cabíveis", afirmou em nota.

Noticia em:
http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2013/04/medicos-paralisam-atendimento-em-postos-de-araraquara-nesta-quarta.html

Enviado do meu BlackBerry®

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Sindicato Expresso

SINDMED-JF

SINDMED-JF
A luta sindical na Internet.

PARA INDICAR O SINDICATO EXPRESSO, CLIQUE NO LINK ABAIXO.

Indique este Site!

ASSINE O SINDICATO EXPRESSO - GRÁTIS E RECEBA EM PRIMEIRA MÃO.

Receba Sindicato Expresso por e-mail

Grupos do Google
Participe do grupo Sindicato Expresso
E-mail:
Visitar este grupo