segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

===========================================

TELEGRAMA SINDICAL 212

 

===========================================

 

Ano V  Número 212  Juiz de Fora, 12 de janeiro de 2010.

 

________________________________________________________________

 

Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora e da Zona da Mata.

 

TELEGRAMA SINDICAL URGENTE – PREFEITURA DE JUIZ DE FORA INICIA PRIVATIZAÇÃO DO SUS.

 

 

A AMAC DAS UPAS –

Prefeitura prepara privatização dos serviços de urgência e emergência em Juiz de Fora.

 

Visão oportunista para abocanhar verbas federais leva administração municipal em usar equipamentos inadequados e pessoal contratado em regime precário para atender aos usuários do SUS em Juiz de Fora.

 

 

Juiz de Fora: Prefeitura quer reviver AMAC para urgência e emergência.

 

Na noite de 11 de janeiro de 2010 a administração do Sr. Custódio de Matos conseguiu aprovar no Conselho Municipal de Saúde, em reunião realizada, excepcionalmente, em uma segunda-feira, o primeiro passo para a privatização e precarização dos serviços públicos de saúde em Juiz de Fora. Foi autorizada a gestão dos serviços do equipamento público inaugurado como Policlínica de Santa Luzia e improvisado em UPA, pelo Hospital Maternidade Terezinha de Jesus, uma instituição filantrópica(!?).

 

O triste fim da AMAC não foi lembrado pelos presentes, como não fora lembrado antes pela administração municipal ao urdir esse nebuloso plano. Os presentes se esqueceram de que o esfacelamento da AMAC, o questionamento de sua legalidade e de sua capacidade de contratar pessoas para o serviço público, quase levou ao colapso da atenção básica à Saúde no SUS de Juiz de Fora. Votou-se por repetir um erro já conhecido e reconhecido. Agora a aventura privatista vai chegar na urgência e na emergência.

 

Ao tentar ativar a inadequada planta da Policlínica de Santa Luzia como UPA, com a finalidade de captar financiamento do Governo Federal, o Prefeito de Juiz de Fora, Custódio de Matos mostra que ainda não aprendeu a lição. Acusado de improbidade administrativa pelo caso AMAC ele agora quer fazer a mesma coisa. Precarizar mão-de-obra no Serviço Público entregando os recursos humanos do serviço público de saúde ao Hospital Maternidade Terezinha de Jesus.

 

Curiosamente esse hospital vive uma situação muito estranha. Beneficiando-se do fato de ser entidade filantrópica, é considerado hospital escola de uma faculdade particular de Medicina que cobra prestações caríssimas: a Faculdade Suprema. Por outro lado, não recolhe ao Sindicato dos Médicos contribuições sindicais de seu corpo clínico. Declara que não tem médicos registrados (carteira assinada). Ou o hospital não tem plantonistas e nem sobreaviso ou está em flagrante irregularidade trabalhista. O caso será examinado oportunamente em representação que o Sindicato dirigirá às autoridades competentes. Essa instituição é que a Prefeitura pretende usar para precarizar as UPAS, serviço público de saúde que atende a urgência e emergência. Ou seja, além de utilizar um equipamento precário, a atual administração municipal quer precarizar a mão de obra, utilizando um hospital problemático, do ponto de vista trabalhista.

 

=======================

Sindicato recomenda que médicos não aceitem contratação precária dentro do serviço público.

 

O SINDICATO DOS MÉDICOS DE JUIZ DE FORA E DA ZONA DA MATA APELA AOS MÉDICOS PARA NÃO ACEITAR CONTRATOS PRECÁRIOS QUE OS ATRIBUAM RESPONSABILIDADES EM SERVIÇOS PÚBLICOS ESSENCIAIS SEM QUE SEJAM SERVIDORES PÚBLICOS. TODO CUIDADO COM ESSES CONTRATOS PRECÁRIOS.

 

 

=======================

Experiência das UPAS – nem tudo o que reluz é ouro.

Unidades podem ser o ouro de tolo da saúde pública.

 

Em alguns lugares, a UPA recorre a mão de obra precária. Em outros recorre a outros serviços públicos. No caso do Rio de Janeiro, as UPAS e SAMU são administradas pelo Corpo de Bombeiros Militar.

 

Em que pese o jogo da propaganda oficial, as UPAs do Rio de Janeiro, em especial as municipais – ADMINISTRADAS COM MÃO DE OBRA CONTRATADA PRECARIAMENTE, tem sido alvo de críticas dos usuários do sistema público de saúde, o SUS. Atendimento precário por falta de médicos e de pessoal de apoio, de equipamentos e medicamentos estão entre os mais citados. Um exemplo gritante está na página http://www.reclameaqui.com.br/420471/governo-do-estado-do-rio-de-janeiro/upa-atendimento-precario-faltam-medicos-pessoal-de-apoio-equ do site Reclame Aqui. 

 

UPA - atendimento precário, faltam médicos, pessoal de apoio, equipamentos e remédios
Reclamada: GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Segmento: Serviços Públicos, Orgãos Públicos, Prefeituras, Governos Estaduais

 


 Reclamação

 

 

Tanta publicidade, tanta festa, mas as UPAs estão decepcionando o povo. Minha irmã, com vômitos e diarreia, ficou das 7 às 13 horas esperando um antendimento e uma aplicação de soro na UPA de Jacarepaguá. Não permitiram a entrada de minha mãe e nem dos acompanhates de outros doentes. Do lado de fora, o desespero era total; do lado de dentro, a única coisa que funciona perfeitamente é o exagerado sistema de refrigeração. Faltam médicos e profissionais de apoio, o remédio que deram à minha irmã, com 35 anos, é pediátrico e não veio com bula. Como vamos ajustar a dosagem? Acabamos de passar por uma enchente, pessoas que ficaram na rua e tiveram contato com essa água suja podem estar infectadas com várias doenças, como é o caso de minha irmã. Espero que seja apenas um susto. Mas e se fosse um caso grave? Governador , menos publicidade e mais eficiência!

 

Comentários dos usuários:

 

 

PASSEI POR PROBLEMA PARECIDO, COM FEBRE E PRESSÃO ALTA FUI ONTEM(25-11-09) A MESMA UPA(JPA) MENCIONADA E VI AS MESAMAS SITUÇÕES E AINDA UMA PIOR, ANTES DE FALAR SOBRE ISSO QUERO COMENTAR QUE FIQUEI DE 14H ÀS 21:30H AGUARDANDO ATENDIMENTO, COM UM DETALHE FALTOU LUZ E ACABEI NÃO SENDO ATENDIDO, ENTÃO O QUE FIZ? FUI AO LORENÇO JORGE QUE ESTAVA NA MESMA SITUAÇÃO DA UPA(LOTADO), TIVE QUE APELAR E PEGAR DINHEIRO EMPRESTADO(r$261,00) PARA PAGAR UMA CONSULTA E EXAMES PARTICULARES, OU SEJA ESTOU INDIVIDADO POR ALGO QUE PODERIA TER SIDO EVITADO PELO GOVERNO COM MENOS PROPAGANDA E MAIS TRABALHO, VOLTANDO AO CASO QUE VI LÁ, CHEGOU UMA MULHER GRÁVIDA COM 8 MESES DE GESTAÇÃO, NO MEIO DE UMA CHUVA INFERNAL COM SANGRAMENTO, SABE COMO ELA FOI ATENDIDA? NÃO TEMOS APARELHOS ADEQUADOS PARA ATENDE-LA, TENTE NO LORENÇO JORGE, PEGUE AQUI NA OUTRA ESQUINA O ONIBUS 701 QUE VAI TE DEIXAR LÁ, SENDO QUE TINHA 3 AMBULANCIAS PARADAS NO ESTACIONAMENTO, ISSO É CASO DE EMERGENCIA, SE A MULHER PERDE O BEBE NO CAMINHO QUEM VAI SER RESPONSABILIZAR, ESTOU MUITO INDIGNADO, O POVO MERECE MAIS RESPEITO DAS AUTORIDADES!!!
26/11/2009 - Rodrigo Matsuda

 

 

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Sindicato Expresso

SINDMED-JF

SINDMED-JF
A luta sindical na Internet.

PARA INDICAR O SINDICATO EXPRESSO, CLIQUE NO LINK ABAIXO.

Indique este Site!

ASSINE O SINDICATO EXPRESSO - GRÁTIS E RECEBA EM PRIMEIRA MÃO.

Receba Sindicato Expresso por e-mail

Grupos do Google
Participe do grupo Sindicato Expresso
E-mail:
Visitar este grupo